sábado, 29 de dezembro de 2012

Teleférico do Morro da Providência passa pelo primeiro teste

21/12/2012 - O Globo

Estrutura será aberta aos moradores em abril

Teleférido da Providência vai ligar a comunidade à Central e à Cidade do Samba Márcia Foletto / O Globo

RIO — O prefeito Eduardo Paes participou, na manhã desta sexta-feira, do primeiro teste com funcionamento da gôndola do teleférico no Morro da Providência no Centro. O equipamento, construído pelo Programa Morar Carioca, terá três estações e vai interligar a Providência com a Central do Brasil e a Cidade do Samba. O teleférico terá capacidade para transportar cerca de mil pessoas por hora.

O tempo do percurso da Providência até a Cidade do Samba será de seis minutos, incluído o tempo de parada. A cabine terá capacidade para dez pessoas. Nos próximos três meses o equipamento ficará em fase de testes. O teleférico só será aberto aos moradores em abril.
A prefeitura investiu R$ 163 milhões nas obras do Morar Carioca. Do total, cerca de R$ 75 milhões foram destinados a implantação do teleférico.

— Isso é fantástico! — disse o prefeito. — Estamos na primeira favela do Rio, hoje totalmente pacificada e integrada à cidade. E o teleférico integra ainda mais, porque permite que a população tenha acesso às residências e fique conectada com a cidade.

Segundo Paes, o teleférico está integrado ao projeto Porto Maravilha:

— Não tenho dúvidas que isso aqui vai virar o Pão de Açúcar 2, a missão no Rio de Janeiro. O visual que se tem é maravilhoso. Você pode ver a cadeia de montanhas do interior do estado, a Ponte Rio-Niterói, o Porto do Rio, a Igreja da Penha, o Cristo Redentor, o Pão de Açúcar, o Relógio da Central e o Centro do Rio. Esse é um ponto privilegiado da visão da cidade.
Para a moradora Aline Dias, de 32 anos, o teleférico vai beneficiar principalmente as pessoas idosas:

— Hoje, o nosso meio de transporte são as kombis, que só sobem depois de lotadas. Temos sempre que esperar a lotação de passageiros.

sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

Teleférico do Morro da Providência passa pelo primeiro teste

21/12/2012 - O Globo

Estrutura será aberta aos moradores em abril

Teleférido da Providência vai ligar a comunidade à Central e à Cidade do Samba Márcia Foletto / O Globo

RIO — O prefeito Eduardo Paes participou, na manhã desta sexta-feira, do primeiro teste com funcionamento da gôndola do teleférico no Morro da Providência no Centro. O equipamento, construído pelo Programa Morar Carioca, terá três estações e vai interligar a Providência com a Central do Brasil e a Cidade do Samba. O teleférico terá capacidade para transportar cerca de mil pessoas por hora.

VEJA TAMBÉM
VÍDEO Morro da Providência em transformação
VÍDEO Obras do teleférico da Providência começam a aparecer. Assista
Mapa de teleférico que ligaria Copacabana à Tijuca é descoberto na Alemanha
Com teleférico no projeto, prefeitura começa obras de urbanização no Morro da Providência
Morro da Providência será reurbanizado e ganhará dois teleféricos e plano inclinado
Rocinha agora terá teleférico e planos inclinados

O tempo do percurso da Providência até a Cidade do Samba será de seis minutos, incluído o tempo de parada. A cabine terá capacidade para dez pessoas. Nos próximos três meses o equipamento ficará em fase de testes. O teleférico só será aberto aos moradores em abril.
A prefeitura investiu R$ 163 milhões nas obras do Morar Carioca. Do total, cerca de R$ 75 milhões foram destinados a implantação do teleférico.
— Isso é fantástico! — disse o prefeito. — Estamos na primeira favela do Rio, hoje totalmente pacificada e integrada à cidade. E o teleférico integra ainda mais, porque permite que a população tenha acesso às residências e fique conectada com a cidade.
Segundo Paes, o teleférico está integrado ao projeto Porto Maravilha:
— Não tenho dúvidas que isso aqui vai virar o Pão de Açúcar 2, a missão no Rio de Janeiro. O visual que se tem é maravilhoso. Você pode ver a cadeia de montanhas do interior do estado, a Ponte Rio-Niterói, o Porto do Rio, a Igreja da Penha, o Cristo Redentor, o Pão de Açúcar, o Relógio da Central e o Centro do Rio. Esse é um ponto privilegiado da visão da cidade.
Para a moradora Aline Dias, de 32 anos, o teleférico vai beneficiar principalmente as pessoas idosas:
— Hoje, o nosso meio de transporte são as kombis, que só sobem depois de lotadas. Temos sempre que esperar a lotação de passageiros.