segunda-feira, 7 de julho de 2014

Teleférico do Alemão: em três anos, nove milhões de passageiros

07/07/2014 - O Globo

RIO - As 152 gôndolas que cruzam as favelas do Complexo do Alemão completam nesta segunda-feira três anos de operação, alcançando a marca de ter transportado mais de nove milhões de passageiros. Com 3,5 quilômetros de extensão, o teleférico funciona de segunda a sexta-feira, das 6h às 21h, e sábados, domingos e feriados, das 8h às 20h. Moradora de Olaria, Ana Cristina da Silva, de 52 anos, diz que o meio de transporte facilitou a rotina:

- Antes do teleférico, nós subíamos e descíamos a pé a comunidade. Era cansativo. Uso o transporte quatro vezes ao dia.

Nos dias úteis, 70% dos usuários são moradores do Complexo do Alemão. Aos fins de semana, turistas e visitantes marcam presença. Assim como aconteceu durante a Jornada Mundial da Juventude (JMJ), a Copa do Mundo também atrai visitantes de vários países, além de brasileiros.

Durante o percurso - são seis estações -, os passageiros podem ver a Igreja Nossa Senhora da Penha, o Cristo Redentor, o Pão de Açúcar, o Estádio Olímpico João Havelange (Engenhão) e a Ponte Rio-Niterói.

quinta-feira, 3 de julho de 2014

Teleférico da Providência será integrado a BRT que ligará Deodoro ao Centro

03/07/2014 - O Globo

RIO — O prefeito Eduardo Paes anunciou, nesta quarta-feira, ao inaugurar o teleférico do Morro da Providência, no Centro, que o sistema será ligado ao BRT Transbrasil (corredor expresso de ônibus a ser construído entre Deodoro e o Centro). Além disso, haverá integração com o veículo leve sobre trilhos (VLT) — projetado para circular na Zona Portuária —, com o metrô e os trens na Central do Brasil (que fica junto à favela). As intervenções estão incluídas no pacote de obras para as Olimpíadas de 2016.

O teleférico tem três estações: Gamboa, Américo Brum e Central do Brasil. A ligação com o futuro BRT acontecerá na Gamboa.

— Vocês não vão ver nenhum atleta russo andando de BRT — brincou Paes, enfatizando que o legado das obras de infraestrutura em andamento no município, por conta de grandes eventos, será da população.

Pedindo desculpas aos moradores da Providência pelo atraso de mais de um ano na entrega do teleférico, Paes reconheceu que a prefeitura não desenvolveu um diálogo da forma como deveria com a população, o que resultou no embargo jurídico das intervenções no morro.

— Foi preciso fazer ajustes, principalmente aqui, um lugar tão simbólico, pois é a primeira favela da cidade e está numa região abandonada durante anos, o Porto. Hoje (quarta-feira), entregamos um equipamento de mobilidade, saúde (há uma clínica numa das estações) e turístico — disse o prefeito.

OBRA DE R$ 75 MILHÕES

Presente à solenidade, o governador Luiz Fernando Pezão também comentou os atrasos na conclusão de obras previstas para a Copa do Mundo e as Olimpíadas.

— Não queremos entregar esses benefícios apenas em função desses grandes eventos. O legado é da população. O mesmo exemplo pode ser aplicado em relação à paz. Não queremos uma paz momentânea, nós a desejamos para sempre — disse Pezão, numa alusão às Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs).

O teleférico do Morro da Providência recebeu um investimento de R$ 75 milhões. O dinheiro foi aplicado na construção de terminais, na montagem de torres, no remanejamento da rede de energia e na implantação de vias de serviço, entre outros itens. O sistema tem capacidade para transportar mil pessoas por hora — em cada sentido — em suas 16 gôndolas. Cada uma pode acomodar oito passageiros sentados e dois em pé. O trajeto, de 721 metros, é feito em aproximadamente cinco minutos, e a viagem é gratuita.

Nos próximos dois meses, o serviço funcionará em horários e condições especiais de teste e treinamento de pessoal, com distribuição de senha aos usuários.

TESTE SERÁ EM TRÊS FASES

A implantação do sistema se dará em três fases, com previsão de cerca de 15 dias para cada uma. Na primeira, a operação será das 9h às 11h, de segunda a sexta-feira. Depois, o teleférico passará a funcionar das 14h às 16h. Na terceira fase, o meio de transporte funcionará, em dias úteis, das 8h às 12h e das 14h às 20h, e, aos sábados, das 9h às 15h.

Passadas essas três fases, o teleférico vai operar das 6h às 21h (de segunda a sexta-feira), das 7h às 19h (aos sábados) e das 9h às 18h (domingos e feriados).

A estação Américo Brum tem uma Academia da Terceira Idade para moradores da comunidade, além de um mirante com vista panorâmica de pontos da cidade como o Pão de Açúcar e a Baía de Guanabara. Já no terminal da Gamboa, uma Clínica da Família fará o atendimento da população das 8h às 20h, de segunda a sexta-feira, enquanto o espaço comunitário Casa Rio Digital permitirá a capacitação profissional de jovens.

— É um benefício que esperávamos há muito tempo. Vai facilitar meu deslocamento até o ponto do ônibus quando estiver indo para o trabalho — afirmou a diarista Rafaela Silva, enquanto utilizava o teleférico com os dois filhos.

quarta-feira, 2 de julho de 2014

Paes inaugura teleférico da Providência e pede desculpas por atraso das obras

Enquanto a equipe testava o equipamento, o teleférico ficou parado por cerca de cinco minutos, entre as Estações Américo Brun e Central

DANIEL BRAGA

02/07/2014 - O Globo

Prefeitura inaugura teleférico no Morro da Providência Foto: Beth Santos / Divulgação/Prefeitura do Rio
Prefeitura inaugura teleférico no Morro da Providência - Beth Santos / Divulgação/Prefeitura do Rio

RIO - Pedindo desculpas aos moradores do Morro da Providência pelo atraso na entrega das obras, o prefeito Eduardo Paes inaugurou na manhã desta quarta-feira as obras do teleférico na comunidade. Ele reconheceu que a prefeitura não desenvolveu um diálogo da forma como deveria com os moradores, o que provocou um embargo jurídico das intervenções. As obras de implantação do sistema estão prontas desde maio de 2013, porém, somente agora — 13 meses depois — a prefeitura conseguiu fechar uma parceria com a iniciativa privada para o serviço entrar em operação.

- Foi preciso fazer ajustes necessários, principalmente aqui, um lugar tão simbólico, pois é a primeira favela da cidade e está em uma região que foi abandonada durante anos, o porto. Hoje entregamos um equipamento de mobilidade, saúde e turístico - afirmou o prefeito, referindo-se a estação Gamboa do teleférico que abriga, ainda, uma Clínica da Família e possui uma vista panorâmica da Baía de Guanabara e do Pão de Açúcar.

Ao lado do prefeito, o governador Luiz Fernando Pezão também comentou os atrasos da obra:

- Não queremos inaugurar obras apenas para a Copa e as Olimpíadas. Este é um legado da população. É para sempre e não para estes eventos. O mesmo exemplo é seguido em relação a paz. Não queremos uma paz momentânea. Queremos a paz para sempre - disse Pezão, numa alusão às Unidades de Polícia Pacificadora.

O sistema ficou parado por cerca de cinco minutos, por volta do meio-dia, entre as Estações Américo Brun e Central, enquanto a equipe testava o equipamento.

As três estações Gamboa, Américo Brun e Central compõem o sistema de teleférico.

SISTEMA COM ATÉ 10 PASSAGEIROS

A implantação do serviço custou R$ 75 milhões. As gôndolas têm capacidade para 10 passageiros cada— oito sentados e dois em pé. Elas foram fabricadas pela empresa austríaca Doppelmay. As cabines são feitas de acrílico e alumínio. O teleférico pode transportar até mil passageiros por hora, e o tempo de viagem entre a primeira e a última estação está estimado em oito minutos.

Read more: http://oglobo.globo.com/rio/paes-inaugura-teleferico-da-providencia-pede-desculpas-por-atraso-das-obras-1-13104777#ixzz36KSrfXl7

terça-feira, 1 de julho de 2014

Teleférico do Morro da Providência reabrirá nesta quarta-feira

Bondinho no Rio de Janeiro, com capacidade para mil passageiros por hora/sentido, não será tarifado. Reabertura está marcada para 4ª feira (2)
01/07/2014 -  Manchete Online 

RJ: teleférico em testes na semana passada
RJ: teleférico em testes na semana passada
créditos: Fabiano Rocha / Agência O Globo
 
O Teleférico do Morro da Providência será reinaugurado nesta quarta-feira (2) pela Prefeitura do Rio de Janeiro. O bondinho com três estações, localizado na região central do Rio de Janeiro, liga a Praça Américo Brum à Central do Brasil e à Gamboa.
 
A viagem, com tarifa gratuita, percorre 721 metros em aproximadamente cinco minutos e tem a capacidade de levar mil passageiros por hora em cada sentido. Serão 16 cabines atendendo usuários e uma gôndola para manutenção.
 
Cada cabine tem capacidade para transportar oito passageiros sentados e dois em pé. Além disso, estações e gôndolas são adaptadas para portadores de necessidades especiais, que recebem o auxílio dos operadores e dos auxiliares.
 
A estação do Morro da Providência é ligada à Praça Américo Brum. A da Central do Brasil é na Praça Cristiano Otoni, ao lado da Estação Central do Brasil, com conexões com os trens da SuperVia, metrô e ônibus. Já a da Gamboa é na esquina da Rua Rivadávia Corrêa, com a Rua da Gamboa.
 
De acordo com a Companhia de Desenvolvimento do Porto do Rio de Janeiro (Cdurp), o funcionamento se dará em quatro fases e terá horário e condições especiais para teste e treinamento de funcionários.
 
Na primeira fase, o funcionamento será das 9h às 11h. Na segunda fase, irá funcionar das 14h às 16h. Já na terceira fase, funcionará de segunda à sexta, das 8h às 12h, e de 14h às 20h, e no sábado, de 9h às 15h.
 
Na quarta fase, o funcionamento será pleno e normal e vai funcionar nos seguintes horários: de segunda à sexta-feira, de 6h às 21h, no sábado de 7h às 19h e domingos e feriados, de 9h às 18h.
 
Durante cerca de dois anos, desde que realizou a primeira e única viagem-teste em dezembro de 2012, o teleférico ficou praticamente abandonado, gerando protestos dos moradores do Morro da Providência, que alegavam ter urgência neste meio de transporte na comunidade. Outra queixa dos moradores era sobre o destino das famílias desapropriadas em função da obra. Segundo a Secretaria Municipal de Habitação, o morro da Providência abriga cerca de 1.400 famílias, sendo que, destas, 118 tiveram que ser reassentadas para a construção do teleférico. Elas serão transferidas para moradias do programa Minha Casa Minha Vida sendo que, dos reassentamentos previstos, 34 já foram entregues e 84 aguardam a conclusão das obras, informa o órgão responsável (Cdurp).