sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Teleférico de São Bernardo deve custar R$ 130 milhões

26/08/2012 - Diário do Grande ABC

O secretário de Transportes e Vias Públicas, Oscar Silveira Campos, explica que o sistema de teleféricos fará ligação aérea entre os principais morros da cidade

Por Fábio Munhoz

São Bernardo espera assinar até o primeiro semestre contrato com o Banco Mundial no valor de US$ 300 milhões (cerca de R$ 600 milhões) para a execução de quatro empreendimentos na área de mobilidade. Entre os projetos de maior destaque estão a criação de teleférico ligando os morros da cidade e a travessia aquática entre os bairros Santa Cruz, Tatetos e Alvarenga.

O secretário de Transportes e Vias Públicas, Oscar Silveira Campos, explica que o sistema de teleféricos fará ligação aérea entre os principais morros da cidade. Nos pontos mais baixos serão feitas as estações. A estimativa é de que 12 pequenos terminais sejam feitos. Os bondinhos circularão em velocidade média de 25 km/h. O investimento estimado é de R$ 130 milhões. Entre os possíveis locais que terão estações estão as avenidas Tiradentes e Dom Pedro de Alcântara.

Outro modal que a Prefeitura pretende implantar é a travessia aquática por meio de catamarãs - modelo de embarcação com duas canoas, o que proporciona mais estabilidade do que um barco comum.

O sistema já é adotado no Rio Grande do Sul, para ligação entre Porto Alegre e Guaíba. Segundo a concessionária que faz a operação, o veículo trafega a 45 km/h e conclui a viagem em 20 minutos. Também há ponte entre os dois municípios, com 1,1 quilômetro de extensão. A implantação em São Bernardo deverá custar em torno de R$ 50 milhões. Serão construídos píers nos bairros Tatetos, Santa Cruz e Alvarenga.

Segundo Silveira Campos, os dois modais serão integrados aos ônibus municipais. "A princípio, a ideia é cobrar a mesma tarifa do transporte sobre pneus." O secretário pretende instalar nos bondinhos e nas embarcações catracas eletrônicas que aceitem o Cartão Legal, o bilhete único da cidade.

O titular da Pasta estima que, se o contrato com o banco for assinado até agosto do ano que vem, os sistemas estejam implantados entre 2013 e 2014. A carta-consulta deve ser enviada à instituição ainda neste ano. Em seguida. o banco irá manifestar se aprova ou não o financiamento. Por tratar-se de transação internacional, o contrato precisa ter aval do governo federal para ser concretizado.

Pontes

Também está prevista a construção de duas vias elevadas. Uma delas será no Riacho Grande e substituirá a balsa João Basso. A ponte terá cerca de 600 metros e custará cerca de R$ 100 milhões.

Outro viaduto ligará o bairro  Taboão ao Rudge Ramos. O elevado, que custará aproximadamente R$ 250 milhões, ligará a Avenida do Taboão com a futura extensão da Lauro Gomes, próximo à divisa com São Caetano. A via terá extensão aproximada de 800 metros. Silveira Campos prevê que os empreendimentos estejam concluídos até o fim de 2014. Ainda não está definido o número de imóveis que terão de ser desapropriados.

Cidade planeja ter 12 corredores de ônibus até 2016

Até 2016, São Bernardo deverá ter 12 corredores de ônibus. Do total, 11 serão construídos por meio de financiamento com o BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento), cujo contrato deverá ser assinado até o fim do ano. O valor total do pacote, que inclui a construção de quatro terminais, é de US$ 250 milhões, o equivalente a cerca de R$ 500 milhões. O outro corredor será o Leste-Oeste, cuja verba virá do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento).

No mês passado, o Executivo contratou por R$ 34 milhões o consórcio Planservi/Hagaplan/Oficina para elaboração dos projetos.

Os locais que receberão vias exclusivas para o transporte coletivo são Alvarenga, João Firmino, Senador Vergueiro, Faria Lima, Jurubatuba, Montanhão, Ferrazópolis, Rotary, Capitão Casa, Castelo Branco e Galvão Bueno. Os terminais serão nos bairros Alves Dias, Batistini, Vila São Pedro e Rudge Ramos. A cidade deve ter até 2015 a Linha 18-Bronze do Metrô em funcionamento total.

Mais um ponto turístico

27/08/2012 - Extra, Paula Fernandes e Roberta Hoertel

Enquanto o teleférico do Alemão completa um ano com três milhões de passageiros, o Morro da Providência se prepara para receber o transporte

Há cerca de um ano, quando começaram os trabalhos, eram apenas gôndolas azuis percorrendo cabos de aço ainda duvidosos. Hoje vermelhas, as gaiolas do teleférico do Complexo do Alemão, um mês após completar o primeiro ano de funcionamento, atingiram a marca de três milhões de passageiros, derrubando os medos e dúvidas da população. Enquanto isso, as obras do teleférico do Morro da Providência estão a todo vapor para edificar um novo cartão-postal na paisagem do Rio.
- Lá em cima balança muito, tudo que é novo gera medo, mas hoje vejo o quanto o sistema foi útil aqui no Alemão - conta a estudante Marcia Pereira.
Na época da inauguração, a implantação do primeiro sistema de transporte de massa por cabo do país numa comunidade recém-pacifica da foi questionada até pelos moradores. Além da insegurança inicial do transporte, a ideia de que a novidade não duraria muito dentro da comunidade afastou muitos cariocas do passeio.
- Achei que com o tempo eles fossem desistir disso, mas está aí até hoje, sem nenhum problema - conta a estudante Juliana Marques.
Mais do que facilitar a vida dos moradores, que chegam a economizar 20 minutos de caminhada, as gôndolas são mais um ponto turístico. Verônica Silva saiu de Copacabana, onde mora, para conhecer o local com uma amiga. Voltou no dia seguinte com os três filhos:
- É muito divertido! De acordo com a Secretaria Municipal de Habitação, as obras do teleférico da Providência deverão ser concluí das até o fim de outubro. Mas o órgão não confirmou a data da inauguração.
Rotina cansativa com dias contados
Morador do Morro da Providência, no Centro, há 35 anos, o líder comunitário Paulo Luiz de Andrade, de 51, depende diariamente de mototáxis e kombis para subir e descer a ladeira. Ao ver as obras do teleférico, ele ganha mais fôlego para cumprir sua rotina cansativa.
- Tenho que descer, em média, umas três vezes ao dia, seja para ir ao mercado, à farmácia ou resolver algum problema. A cada trajeto de ida e volta, se for de mototáxi, gasto R$5; na kombi, tenho que pagar R$3 - explica ele, que também é funcionário público.
Segundo a Secretaria Municipal de Habitação, três estações vão ligar o Morro da Providência à Central do Brasil e à Cidade do Samba, num percurso de 665 metros. O teleférico será gratuito para os moradores, mas deverá ter um custo para visitantes.

sexta-feira, 24 de agosto de 2012

Teleférico do Alemão supera a marca de 3 milhões de passageiros transportados

23/08/2012 - Agência Rio

O teleférico do Complexo do Alemão acaba de superar a marca de 3 milhões de passageiros transportados. O expressivo número de embarques foi atingido na segunda semana deste mês, pouco depois de o primeiro sistema de transporte de massa por cabo do país completar um ano de funcionamento. Segundo a SuperVia, que administra o teleférico, a meta é aumentar o número de transportados de 10 mil para 15 mil por dia até dezembro.

“Acompanhamos as mudanças que têm sido implementadas para a melhoria na qualidade de vida e na cidadania local. Este número é a prova de que, por meio da eficiência do serviço oferecido, conquistamos a população e fidelizamos os passageiros para este sistema, que é pioneiro no Brasil – afirmou o diretor de operações do Teleférico do Alemão, Luiz de Souza.

Inaugurado no dia 7 de julho de 2011, o teleférico é fruto de intervenções do Programa de Aceleração do  Crescimento (PAC) na comunidade.

“O sucesso do Teleférico é comprovado através da marca de 3 milhões de embarques realizados ao longo deste primeiro ano de operação. O transporte por cabos está se mostrando uma importante ferramenta de mobilidade dentro das comunidades do Alemão. A eficiência do sistema está sendo levada, inclusive, para outras regiões do Rio, a fim de ampliar a capacidade de deslocamento de nossa população”, disse o secretário estadual de Transportes, Julio Lopes.

Usuários economizam tempo e dinheiro
 
Para a comunidade, o teleférico representa economia de tempo e dinheiro. Usuária do sistema, a dona de casa Maria das Dores Barbosa disse que diminuíram os gastos no transporte dos filhos até a escola. Moradores do Morro do Adeus, eles vão diariamente até a estação Itararé para estudar.

“Antes do teleférico, eu tinha que pagar R$ 360 por mês de transporte escolar para eles, porque a distância é longa. Hoje, gasto pouco mais de R$ 60 mensais para nós três irmos juntos, e levamos, no máximo, 20 minutos para chegar ao destino final”, disse a dona de casa.

quinta-feira, 16 de agosto de 2012

Venda de bilhetes promocionais no Teleférico será prorrogada

13/08/2012 - Supervia
  
Com um mês em oferta, a tarifa promocional, que comemora o aniversário de operação do Teleférico do Alemão, será prorrogada até o dia 7 de outubro. A campanha lançada pela SuperVia, concessionária que administra o sistema inaugurado há um ano, dobrou o número de bilhetes vendidos para integração Teleférico-trem. O uso dos dois sistemas representa uma economia de 90 centavos aos Clientes. Atualmente, nos dias úteis, cerca de 10 mil moradores e turistas nas comunidades do Complexo do Alemão utilizam o Teleférico, que é integrado ao sistema ferroviário por meio da estação Bonsucesso/TIM (ramal Saracuruna).